terça-feira, 20 de novembro de 2007

Estado sem projetos


O prefeito Veneziano Vital do Rêgo (foto) tem uma capacidade de raciocínio de causar inveja a qualquer um. Perguntado por jornalistas como via matéria publicada no jornal Folha de São Paulo que relacionava Campina Grande entre as maiores beneficiárias com recursos do Governo Lula, declarou que a cidade está sendo contemplada porque apresentou projetos estruturantes, “muito diferente de outros entes que tentaram subtrair verbas para João Pessoa e ainda nada apresentaram em favor da cidade”.

Veneziano refere-se ao Plano de Aceleração do Crescimento – PAC, no qual o Governo do Estado apresentou apenas um projeto direcionado para Campina Grande: obras na adutora do Açude Epitácio Pessoa; e somente só.

È de se lamentar que o Governador Cássio, prefeito três vezes de Campina, não conheça as reais necessidades da cidade. Sorte do prefeito que tem um Senador aliado seu, José Maranhão, que abdicou de sua emenda para outras regiões em benefício de Campina.

Tenho em mãos o Projeto do PAC. O Governo do Estado contempla João Pessoa, Santa Rita e Bayeux com vultosos recursos, mas Campina Grande, que dizem amar tanto, ficou praticamente de fora dos pensamentos e dos projetos estaduais. Uma pena!

Em nome da verdade
Ou foi desinformação mesmo ou pura defesa do Governador. É que o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil/PB, José Mário Porto, declarou em João Pessoa que o Governador Cássio não é citado na Campanha Contra a Corrupção Eleitoral, lançada nesta semana pela CNBB e OAB nacional. Sugiro ao nobre jurista que acesse o site da Lei que define a campanha: http://www.lei9840.org.br/ e clique no link da direita: “623 políticos cassados por corrupção eleitoral”.

No citado link, o presidente da OAB/PB precisará acessar o ano de 2006 para ver a relação dos cassados e constatará que o nome do Governador Cássio é o primeiro da lista.

Rápidas

1 – Tem crescido o número de adesivos em carros de Campina com o seguinte slogan “Vice que trabalha se repete”, numa clara referência ao vice-prefeito José Luiz Júnior, para que ele seja mantido o vice de Veneziano na campanha de 2008. A briga promete.

2 – Amigos da ex-prefeita Cozete Barbosa (foto) me confidenciaram que ela não será candidata a nenhum cargo público no ano que vem. Cozete, pelo que soube, está estudando Política em universidade local, como aluna visitante. Quais serão seus planos mesmo?

3 – Irão mesmo pegar fogo as eleições para renovação do Diretório do PT no começo de dezembro próximo. Aqui na Paraíba existem várias alas querendo abocanhar o partido: ligadas ao PMDB e ao PSDB. Muitas cabeças irão rolar após o processo, aguardem.
4 – O diretor do Hospital Regional local, Isaías dos Santos (aquele mesmo que presidiu uma Cooperativa de Trabalhadores (sic) da Prefeitura no Governo Cássio), disse que o número de atendimentos aumentou no Hospital porque o PSF não funciona. Ora, ele se contradiz com o seu próprio chefe, o Governador Cássio, que não cedeu o Hospital para a Prefeitura administrar porque, segundo ele, a maior parte dos atendimentos é de pessoas de outras cidades.

6 comentários:

pedrofreirefilho disse...

Josué, a mudança foi muito boa. Agora, é preciso está atualizando o blog diariamente. Já adicionei no meu blog (www.pedrofreirefilho.zip.net) o seu novo endereço. Um forte abraço!

Anônimo disse...

O blog ficou muito bom. Parabéns - José Claudio - Campina Grande

Anônimo disse...

muito bom? , foi Pedro Freire(Alter Ego de Josué Cardoso)

Anônimo disse...

Comente aí Josué Cardoso:

Bens de Vital Filho penhorados por sonegação
O deputado federal Vital Filho, chefe do esquema político que comanda a Prefeitura de Campina Grande, responde na Justiça um processo por sonegação de impostos e já teve bens penhorados no valor de 150 mil reais. Como prefeito de fato, já que o irmão Veneziano não passa de mero executor dos seus projetos macro-políticos, ele não oferece bom exemplo aos contribuintes dos tributos municipais. Como pode exigir que pessoas simples paguem o IPTU em dia se ele próprio insiste em dá calote na Receita Federal, conforme podemos comprovar na ação de execução fiscal de numero 2001.82.01.0080481, que corre na 5ª Vara Federal. A ação da Fazenda Nacional contra o deputado ocorre devido à sonegação de impostos nos rendimentos advindos da ajuda de custo que recebia da Assembléia Legislativa na época em que ainda era deputado estadual. Ninguém está acima da Lei.

Anônimo disse...

Cardoso: parabéns pelo novo lay-out do blog. Vá em frente, que atrás vem esses anônimos...

Anônimo disse...

Vem atrás?